Participe do grupo Misturebas no WhatsApp

Maldade: Em dois anos, 80% das harpias mortas no Mato Grosso foram motivadas por “curiosidade”

Maldade: Em dois anos, 80% das harpias mortas no Mato Grosso foram motivadas por
Fotos: Everton Miranda

Biólogo coletou relatos para sua pesquisa e descobriu que 181 animais da espécie foram mortos na região em apenas dois anos.

Em uma pesquisa realizada pelo biólogo e especialista em predadores, Everton Miranda, foi constatado que em apenas dois anos, 181 harpias foram mortas na região Norte do Mato Grosso, em uma área conhecida como Arco do Desmatamento.

O pesquisador se assustou após a realização de entrevistas e coletas de relatos, onde descobriu que 80% das mortes da espécie foram causadas, apenas, por curiosidade humana. Os outros 20%, foram ocasionados por retaliação contra ataques das harpias a outros animais.

Continua depois da publicidade

As pessoas “curiosas” que abateram a espécie, cometeram o crime ambiental por querer ver o animal de perto ou, como em alguns relados dados ao biólogo, “eu nunca tinha visto um gavião desse tamanho”. Everton decidiu em 2016 estudar as harpias da Amazônia, e o resultado encontrado o assustou.

>> LEIA MAIS: Após ser humilhado por abrir banca de lanches modesta, catador recebe ajuda para alavancar o negócio

A harpia é a uma ave predadora natural de bichos-preguiça e macacos. Um motivo para evitar que esses tipos de crimes continuassem  foi inspirado no turismo das onças, e Everton decidiu criar um projeto de turismo de observação de harpias. Contudo, isso protege os animais, mas surge um fluxo de pessoas em áreas onde havia uma baixa circulação de humanos, e isso pode acabar afetando o bioma e os próprios animais.

Com informações de Casas Ninja Amazônia

 

 

Compartilhe nas suas redes sociais


Siga as redes sociais do Portal Misturebas
Instagram: Clique aqui ✅ Telegram: Clique aqui
✅ Facebook: Clique aqui  ✅ Youtube: Clique aqui


Sugestão de pauta

Mais notícias
Atendimento