Participe do grupo Misturebas no WhatsApp

Homens são condenados por executar vítima a tiros em Balneário Camboriú

Homens são condenados por executar vítima a tiros em Balneário Camboriú
Imagem Ilustrativa

Três envolvidos foram condenados pela execução de um homem, que foi alvejado por tiros dentro do carro, após sair de um bar com amigos.

Três homens denunciados pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) foram condenados por executar a tiros outro homem em Balneário Camboriú, na região da Foz do Rio Itajaí. Eles foram condenados por homicídio qualificado, porte ilegal de munições e receptação de veículo roubado. As penas impostas pelos crimes cometidos variam de 15 a 20 anos e cinco meses de prisão.

A ação penal foi ajuizada pela 8ª Promotoria de Justiça da Comarca de Balneário Camboriú, que apurou o crime cometido no dia 25 de dezembro de 2018, quando os três envolvidos alvejaram e executaram a vítima com vários tiros.

Continua depois da publicidade

A execução ocorreu por volta das 06h, na Rua Tanzânia, no Bairro das Nações. A vítima havia saído de um bar na companhia de três amigos e acabava de entrar em seu carro, que estava estacionado perto do local. Os autores estavam próximos, de tocaia em um carro com placas clonadas e com registro de roubo em Florianópolis. Eles encostaram ao lado do carro da vítima e dispararam vários tiros contra ela. Os amigos da vítima conseguiram sair do veículo e não sofreram ferimentos.

>> LEIA MAIS: GEIN cumpre mandado de prisão, notifica condutores e realiza apreensões em Operação Impacto de Ordem e Operação Integração

A Promotora de Justiça Isabela Ramos Philippi sustentou no julgamento que o homicídio foi qualificado pelo uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Os homens foram condenados também pela receptação do veículo roubado e por porte ilegal de munições, que foram encontrados no interior do automóvel utilizado no crime.

O Juízo do Tribunal aplicou a pena de 15 anos para um dos acusados e de 20 anos e 5 meses para os outros dois, todas em regime inicial fechado. O nome dos envolvidos não é divulgado em função do processo, que segue em segredo de Justiça.

 

Compartilhe nas suas redes sociais


Siga as redes sociais do Portal Misturebas
Instagram: Clique aqui ✅ Telegram: Clique aqui
✅ Facebook: Clique aqui  ✅ Youtube: Clique aqui


Sugestão de pauta

Mais notícias
Atendimento