Participe do grupo Misturebas no WhatsApp

Homens das Ilhas Salomão ficam 29 dias perdidos no mar após rastreador GPS parar de funcionar

Homens das Ilhas Salomão ficam 29 dias perdidos no mar após rastreador GPS parar de funcionar
Foto: Getty Images

Os dois homens até brincaram com a situação, alegando ter sido ‘uma boa pausa’.

Após 29 dias perdidos no mar, dois homens das Ilhas Salomão são encontrados em Papua Nova Guiné, a 400 km de distância do local de origem deles. O caso ocorreu após o rastreador GPS utilizado por eles parar de funcionar. No dia 3 de setembro, Livae Nanjikana e Junior Qoloni saíram da Ilha Mono, nas Ilhas Salomão, em um pequeno barco a motor. O planejado pelos homens era viajar cerca de 200 km até a cidade de Noro, na Ilha Nova Geórgia.

Nanjikana relatou que os dois já haviam feito essa viagem antes, e que as coisas deveriam estar bem. Contudo, a região onde eles estavam é imprevisível, e após algumas horas no curso, eles se depararam com chuvas e ventos fortes, dificultando a travessia.

Continua depois da publicidade

“Quando veio o mau tempo, estava ruim, mas ficou pior e tornou-se assustador quando o GPS ‘morreu’ (…). Não conseguíamos ver para onde estávamos indo, então decidimos desligar o motor e esperar, para economizar combustível”.

Os homens ficaram quase um mês se alimentando de laranjas que foram empacotadas para a viagem, cocos e com a água da chuva, coletada por Nanjikana e Qoloni com um pedaço de lona. Eles foram resgatados após avistarem um pescador da Nova Bretanha, em Papua Nova Guiné, o que os surpreendeu, já que estavam em outro país.

“Não sabíamos onde estávamos, mas não esperávamos estar em outro país”.

No dia 2 de outubro, a dupla chegou à cidade de Pomio, bem fracos. Eles foram levados até uma casa próxima para, nos dias seguintes, serem atendidos por um médico de uma clínica local. Um residente da Ilha, Joe Kolealo, contou à Solomon Islands Broadcasting Corporation que os resgatados estavam bem.

“Estou ansioso para voltar para casa, mas acho que foi uma boa pausa de tudo”, afirmou Nanjikana.

>> LEIA MAIS: Aumento no preço da gasolina e do gás de cozinha é anunciado pela Petrobras

Mary Walenenea, chefe de escritório do Ministério de Relações Exteriores e Comércio das Ilhas Salomão, com sede em Papua-Nova Guiné, disse que estão em contato com Nanjikana para garantir as providências necessárias sejam tomadas, para que assim, os dois homens possam voltar para casa.

 

Com informações de Uol

Compartilhe nas suas redes sociais


Siga as redes sociais do Portal Misturebas
Instagram: Clique aqui ✅ Telegram: Clique aqui
✅ Facebook: Clique aqui  ✅ Youtube: Clique aqui


Sugestão de pauta

Mais notícias
Atendimento