Participe do grupo Misturebas no WhatsApp

Epagri elabora projetos de crédito para famílias rurais em Santa Catarina

Epagri elabora projetos de crédito para famílias rurais em Santa Catarina

O objetivo do crédito é financiar os produtos para geração de energia solar

Essencial para a agricultura, o sol ganhou mais um papel no meio rural catarinense: ser fonte de energia. Com sistemas de geração solar fotovoltaica, muitas famílias já não colhem apenas alimentos: produzem eletricidade de forma limpa e reduzem os custos das atividades produtivas.

A Epagri é parceira dos agricultores nesse caminho sustentável porque elabora projetos de crédito para financiar os sistemas de geração. Com apoio, essa onda só cresce: em 2018 e 2019, a Empresa elaborou 1.131 projetos na área, contra 103 nos três anos anteriores. Só em 2019, os financiamentos em geração de energia encaminhados pela Epagri somaram R$42 milhões – quase 17% do valor total dos projetos de crédito feitos pela Empresa.

Continua depois da publicidade

Misturebas - A informação ao seu alcance!

O financiamento torna a tecnologia acessível às famílias rurais. No caso dos agricultores enquadráveis no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), é possível acessar o Pronaf Eco.

Com limite de R$165 mil, essa linha de crédito oferece taxa de juros de 2,5% ao ano e prazo de até dez anos para pagar. Acessando o Programa Menos Juros, da Secretaria da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural de SC, ainda é possível abater 2,5% dos juros de financiamentos de até R$100 mil.

Continua depois da publicidade

Misturebas - A informação ao seu alcance!

Dos 584 projetos elaborados pela Epagri para investimento em energia solar em 2019, 77% foram apoiados pelo Menos Juros.

Foi com ajuda da Epagri que a família Barea, de Planalto Alegre, no Oeste, conseguiu financiar um sistema fotovoltaico e reduzir os custos da propriedade. Para manter duas residências, dois aviários e a produção de leite, a conta de energia alcançava R$3,5 mil mensais. Hoje, a despesa varia entre R$200 e R$600.

O sistema tem 114 painéis solares com capacidade instalada de 36 quilowatts-pico. O investimento foi de R$198 mil, dos quais R$165 mil foram financiados pelo Pronaf Eco.

Antônio Barea calcula que em seis a oito anos o investimento esteja quitado apenas com a economia na conta de energia. “Assim que o sistema se pagar, vou produzir energia sem custo. É um dinheiro a mais para investir em melhoria da propriedade ou no conforto da família”.

 

Fonte: Epagri
Compartilhe nas suas redes sociais


Redação Misturebas

Seja o repórter e nos envie fotos e dados!
http://bit.ly/FalecomPORTALMISTUREBAS

Siga nosso instagram
✅ Instagram: instagram.com/portalmisturebas

Participe do nosso grupo no WhatsApp
✅ WhatsApp: http://abre.ai/grupomisturebas
Portal Misturebas – A informação ao seu alcance | 13 anos®


Sugestão de pauta


Mais notícias
Atendimento