Participe do grupo Misturebas no WhatsApp

Senado aprova projeto que prevê prioridade na matrícula para crianças com deficiência

Senado aprova projeto que prevê prioridade na matrícula para crianças com deficiência
Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

A matéria segue para análise da Câmara dos Deputados.

Na terça-feira (17), foi aprovado pelo Senado o projeto que prevê a prioridade na matrícula para crianças e adolescentes que possuem deficiência ou doenças raras em creches, pré-escola e em instituições de ensino fundamental ou médio, públicas ou subsidiadas pela União.

O texto aprovado assegura o provimento de material didático e adaptado às necessidades dos estudantes que possuem essas condições. Na implementação da mudança, foi acrescentado dispositivos ao Estatuto da Criança e do Adolescente, à lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e ao Estatuto da Pessoa com Deficiência.

Continua depois da publicidade

O relator da proposta, o senador Romário (PLRJ), comenta que na prática, o Estado ainda não consegue suprir a demanda da população por educação.

“Por mais que a Constituição imponha ao Estado o dever de garantir educação básica obrigatória e gratuita dos 4 aos 16 anos de idade, bem como educação infantil, em creche e pré-escola, às crianças de até 5 anos de idade, temos ciência de que, na prática, é comum, em todo o território nacional, a organização de filas de espera por vagas na pré-escola e na rede pública de ensino, porque o Estado ainda não consegue suprir a demanda dos brasileiros por educação”

Se virar lei, a proposta tem previsto o prazo de 90 dias, a partir da sanção, para adaptar as creches e escolas à nova legislação.

Autora do projeto, a senadora Nilda Gondim (MDBPB), inicialmente propôs a prioridade a crianças e adolescentes com deficiência. Porém, uma emenda possibilitou que a prioridade alcançasse também crianças e adolescentes com doenças raras.

>> LEIA MAIS: Automóvel é flagrado com R$ 24 mil em ecstasy na BR 101 em Tubarão

Romário ainda disse que o agravamento do isolamento social de crianças e adolescentes com deficiência, atrasa o desenvolvimento delas.

“A concorrência acirrada por matrículas pode deixar crianças e adolescentes com deficiência fora da escola e da creche, agravando-lhe o isolamento social e atrasando o desenvolvimento de suas potencialidades. Trata-se do círculo vicioso de reprodução das dificuldades e de impedimentos mencionado pela autora da proposição, uma dinâmica que precisa ser interrompida, se realmente desejamos nos transformar em uma sociedade inclusiva e acessível”

Com informações de Agência Brasil

Compartilhe nas suas redes sociais


Siga as redes sociais do Portal Misturebas
Instagram: Clique aqui ✅ Telegram: Clique aqui
✅ Facebook: Clique aqui  ✅ Youtube: Clique aqui


Sugestão de pauta

Mais notícias
Atendimento