Participe do grupo Misturebas no WhatsApp

Indústrias de carnes do Brasil pedem apoio ao governo em alerta sobre aumento de preço

Indústrias de carnes do Brasil pedem apoio ao governo em alerta sobre aumento de preço
Imagem Ilustrativa

A divulgação do manifesto indica novas elevações nos preços que atingirão os brasileiros

Na segunda-feira (24), as indústrias de carne suína e frango divulgaram um manifesto sobre as novas elevações de preços dos produtos. O aumento ocorrerá por conta do repasse de custos com as matérias-primas como a soja e o milho. Essa elevação deve atingir os consumidores brasileiros.

A Associação Brasileiro de Proteína Animal (ABPA) destacou em nota a importância de novas desonerações tributárias e a implementação de medidas técnicas para viabilizar importações de insumos com custos menores.

Continua depois da publicidade

Na nota, a ABPA afirma que o milho e a soja são insumos básicos que compõe 70% dos custos de produção e subiram mais de 100% e 60% em relação ao mesmo período no ano passado. Esse aumento gera problemas financeiros as empresas.

Com a seca no Brasil, houve uma grave queda de safra no milho que impulsou as cotações no país.

Em solicitação ao governo, as representações setoriais pediram que o setor de proteína animal do país “tenha igualdade de competição pelos insumos em relação ao mercado internacional, evitando a desindustrialização e a perda de postos de trabalhos”.

No mês de abril, o governo atendeu o pleito para que a Tarifa Externa Comum fosse zerada para a importação de milho, soja e subprodutos como farelo de soja, de fora do Mercosul. Porém, não foi o suficiente para tornar viável as compras externas a custos menores, levando o segmento a formalizar novos pedidos.

A ABPA cometa que “há desoneração de tarifa para esta importação, mas não há viabilização técnica”, se referindo a produtos transgênicos aprovados em outros países que não possuem aval no Brasil, limitando os negócios. Com isso, pedem a viabilização emergencial das importações de milho e soja para uso estrito em ração animal.

A associação pede a suspensão do imposto Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Marcante (AFRMM) sobre a importação de insumos de países que não integram o Mercosul.

Foi encaminhado também a solicitação para a suspensão temporária na cobrança de PIS e Cofins para as importações provenientes de países do extra-Mercosul, para empresas que não realizam “drawback”.

Na nota há o reforçam a necessidade em criar um sistema oficial de informação antecipada sobre exportações futuras de grãos, como funciona em outros países.

 

Compartilhe nas suas redes sociais


Siga as redes sociais do Portal Misturebas
Instagram: Clique aqui ✅ Telegram: Clique aqui
✅ Facebook: Clique aqui  ✅ Youtube: Clique aqui


Sugestão de pauta

Mais notícias
Atendimento