Participe do grupo Misturebas no WhatsApp

Vigilância Sanitária de Timbó intensifica campanha contra o Aedes Aegypti

Vigilância Sanitária de Timbó intensifica campanha contra o Aedes Aegypti

Número de novos focos do mosquito já alcançou mais que o dobro do total registrado no ano passado.

A Vigilância Sanitária de Timbó está focando seus esforços no trabalho de erradicação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, Chikungunya, Zika e Febre Amarela. Neste ano, foi registrado um aumento relevante na incidência de focos no município: nos primeiros quatro meses de 2021 já foram encontrados 25 focos, enquanto que durante todo 2020 foram apenas onze. “O que chama a atenção é que estão aparecendo focos em bairros que não registravam a presença do mosquito a muito tempo, como é o caso do Centro”, alerta o coordenador da Vigilância Sanitária, Carlos Brás Busarello.

Carlos também explica que, pelo fato de Timbó ter registrado casos das doenças transmissíveis pelo mosquito, há a possibilidade de que elas comecem a circular pela população da cidade. Por isso a importância do trabalho de prevenção, que visa erradicar a presença do Aedes Aegypti no território timboense.

Continua depois da publicidade

Misturebas - A informação ao seu alcance!

Como funciona o combate ao mosquito da dengue:

Quando o Laboratório de Entomologia detecta a presença do mosquito, a coordenação do programa promove imediatamente uma ação técnica, chamada “Delimitação de foco”. Nela são feitas inspeções minuciosas em todos os imóveis num raio de 300 metros ao entorno do local do foco.

O coordenador comenta que nestas inspeções, os agentes têm encontrado muitos depósitos em residências, comércios e terrenos baldios: “lembramos que a participação de todos é fundamental para que os problemas de saúde não venham se agravar ainda mais”, completou.

O que eu posso fazer para ajudar?

Existem uma série de atitudes simples que são determinantes para que o Aedes Aegypti deixe de ser um problema na vida das pessoas. Muitas delas são simples e não exigem qualquer esforço, tais como manter caixas d’água bem fechadas, não jogar lixo em terrenos baldios, tampar ralos ou vasos sanitários, prestar atenção em vasos de plantas ou recipientes ao ar livre, dentre muitas outras.

O principal deve ser sempre evitar o acúmulo de água parada, ambiente perfeito para a proliferação do mosquito. Somente assim as doenças transmitidas pelos Aedes Aegypti poderão ser de vez erradicadas, contribuindo para um bem estar social e físico de toda a cidade.

Compartilhe nas suas redes sociais


Siga nossas redes sociais
Instagram: Clique aqui ✅ Telegram: Clique aqui
✅ Facebook: Clique aqui  ✅ Youtube: Clique aqui


Sugestão de pauta


Mais notícias
Atendimento