Pescadores encontrados na Baía da Babitonga morreram de asfixia antes de serem jogados no mar, diz laudo

Pescadores encontrados na Baía da Babitonga morreram de asfixia antes de serem jogados no mar, diz laudo

Os três estavam amordaçados com fita, com as pernas e braços amarrados e enrolados em correntes.

Laudo do Instituto Médico Legal (IML) indicou que os três pescadores que estavam desaparecidos e foram encontrados na Baía da Babitonga, no Norte catarinense, morreram de asfixia antes de serem jogados no mar. A Polícia Civil ouviu alguns familiares e amigos das vítimas e investiga se os homens foram executados.

Os pescadores desapareceram em São Francisco do Sul, no Norte do estado, em 8 de novembro. Após três dias de buscas, os corpos foram encontrados. Um deles foi localizado na Vila da Glória, em São Francisco do Sul, por volta das 6h30. Os outros dois foram encontrados por volta das 7h em Itapoá, município vizinho, conforme informado pelo chefe de equipe do Corpo de Bombeiros Voluntários de São Francisco do Sul, Luis Carlos de Brito.

Continua depois da publicidade

Misturebas - A informação ao seu alcance!

Segundo o delegado responsável pelo caso, Weydson da Silva, os três foram “amordaçados com fita silver tape nas cabeças, amarrados nos pés também por essa fita. Os braços também amarrados, os corpos envoltos em uma corrente e com requintes ali de extrema crueldade na execução desses indivíduos”.

Investigação

Em relação ao que pode ter acontecido com as vítimas, o delegado disse que a polícia trabalha com várias hipóteses. “As possibilidades mais concretas, segundo as circunstâncias da localização dos corpos, é de que eles saíram para praticar delitos patrimoniais durante a noite e teriam sido supostamente flagrados por vítimas, que retaliaram com a execução dos três. Isso pode ser desde furtos de bens móveis pequenos até uma situação um pouco mais grave, que seria a prática de tráfico de drogas em embarcações de grande porte, já que dois deles foram encontrados também vestindo roupas específicas para mergulho”, afirmou.

Continua depois da publicidade

Misturebas - Anúncio

“A Polícia Civil vai tentar reconstituir todos os últimos passos deles, as pessoas que tiveram envolvimento com eles no último dia que nós temos conhecimento e coletar o maior número de informações possíveis”, disse o delegado.

Vítimas

Lúcio Alexandre Caetano dos Santos, Vilson Estavão Suzena e Adilson dos Santos estavam desaparecidos desde sexta, quando saíram de casa para pescar por volta das 18h30.

O último contato dos pescadores com familiares foi na própria sexta, por volta das 20h15. No domingo, 10 de novembro, a embarcação onde os pescadores estavam foi encontrada amarrada na Ilha dos Herdeiros, em São Francisco do Sul.

 

Fonte: G1 SC | Foto: Capitania dos Portos de São Francisco do Sul
Compartilhe nas suas redes sociais


Sugestão de pauta

Deixe um comentário.


Receba as novidades no seu email


Mais notícias
Atendimento