Participe do grupo Misturebas no WhatsApp

Operação investiga pagamento ilegal de horas extras no Samae de Blumenau

Operação investiga pagamento ilegal de horas extras no Samae de Blumenau
Fotos: PCSC

Durante o cumprimento de mandados de busca e apreensão, foram apreendidos cerca de R$ 202 mil

A Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão em Blumenau no endereço de suspeitos envolvidos no pagamento ilegal de horas extras para funcionários do Samae de Blumenau. A investigação é da 4ª Delegacia Especializada no Combate à Corrupção (DECOR) de Blumenau, com apoio da DECOR-DEIC, Delegacia de Polícia de Gaspar, DCPAMI de Blumenau e 1ª DP de Blumenau.

Segundo o Delegado de Polícia Lucas Almeida, a investigação apurou suspeita de crimes de peculato e falsidade ideológica. No caso, constatou-se que houve uma elevação no pagamento das rúbricas das “horas extras” e “sobreaviso” nos meses de pandemia, período em que, em geral, parte dos funcionários trabalhou em home office.

Continua depois da publicidade

Misturebas - A informação ao seu alcance!

LEIA TAMBÉM: Mulher é condenada por maus-tratos a animais em Porto Belo

“Investigou-se a noticia de que pagamentos do sobreaviso eram pagos em período acima do permitido legalmente, inclusive em meses de férias, e de que parte dos valores pagos a alguns funcionários eram dados a um ex-diretor para financiar ilegalmente a sua campanha eleitoral”, afirmou o Delegado.

Continua depois da publicidade

Misturebas - A informação ao seu alcance!

Conforme informações da Polícia Civil, foram apreendidos cerca de R$ 202 mil na operação.

NOTA OFICIAL – Samae Blumenau

O Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) esclarece que tomou conhecimento pela imprensa da investigação realizada pela Polícia Civil na manhã desta quinta-feira, dia 10.

Diante dos fatos, o prefeito Mário Hildebrandt determinou à Controladoria Geral do Município e Transparência a imediata instauração de uma auditoria na autarquia. O processo visa avaliar se os procedimentos adotados estão em conformidade.

Paralelamente, o presidente do Samae, Michael Schneider, informou que vai solicitar a abertura de uma sindicância para apurar os fatos. Vale ressaltar que o Samae possui autonomia administrativa e financeira para realização das atividades institucionais de saneamento básico.

Schneider também vai solicitar à Polícia Civil o inquérito instaurado para ter ciência dos detalhes da apuração, visando auxiliar na auditoria. Os servidores citados na operação serão afastados das funções até o fim das investigações.

Compartilhe nas suas redes sociais


Redação Misturebas

Seja o repórter e nos envie fotos e dados!
WhatsApp Chat: http://abre.ai/grupomisturebas
Instagram: instagram.com/portalmisturebas
Telegram: https://t.me/misturebas

Portal Misturebas – A informação ao seu alcance | 13 anos ®️


Sugestão de pauta


Mais notícias
Atendimento