Participe do grupo Misturebas no WhatsApp

Justiça de SC nega liberdade a homem que teve Júri cancelado pela pandemia

Justiça de SC nega liberdade a homem que teve Júri cancelado pela pandemia
Foto: Divulgação/Freepik

O réu é acusado de tentativa de homicídio duplamente qualificada e corrupção de menores

A 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), em matéria sob a relatoria da desembargadora Cínthia Beatriz da Silva Bittencourt Schaeffer, negou liberdade a homem preso preventivamente e que teve seu julgamento pelo Tribunal do Júri, no sul do Estado, cancelado em razão da pandemia da Covid-19. O réu é acusado de tentativa de homicídio duplamente qualificada e corrupção de menores, por causa de uma dívida de R$ 30. O julgamento, que seria no dia 4 de junho deste ano, foi suspenso por conta da epidemia e ainda não há uma nova data marcada.

Para punir a vítima que devia a quantia de R$ 30, dois homens e um adolescente realizaram uma emboscada que resultou na tentativa de homicídio. Com a identificação dos suspeitos, o acusado foi preso preventivamente no dia 1º de dezembro de 2018. A denúncia foi oferecida 18 dias depois pelo Ministério Público. A instrução do processo teve alguns atrasos porque duas testemunhas não foram localizadas inicialmente e uma manifestou-se por meio de carta precatória. Além disso, a ação foi separada em relação a outro suspeito que estava foragido.

Continua depois da publicidade

Misturebas - A informação ao seu alcance!

Com o cancelamento do júri, o acusado impetrou habeas corpus em que invocou os predicados pessoais para a substituição da prisão preventiva por medidas cautelares. Sustentou também que sofre constrangimento ilegal decorrente do excesso de prazo na formação da culpa e da falta de previsão do julgamento. “O fato de não existir data aprazada para a realização do júri não é apto a causar constrangimento ilegal, porquanto o processo encontra-se na iminência de ser encerrado, havendo determinação expressa para que, uma vez superadas as restrições impostas pela quarentena, os autos voltem conclusos para a designação de data para a sessão plenária”, anotou a relatora em seu voto.

A sessão foi presidida pelo desembargador Luiz Neri Oliveira de Souza e dela também participou o desembargador Antônio Zoldan da Veiga. A decisão, do último dia 23, foi unânime (Habeas Corpus Criminal n. 5018937-32.2020.8.24.0000).

 

Fonte: TJSC | Assessoria de Imprensa/NCI
Compartilhe nas suas redes sociais


Redação Misturebas

Seja o repórter e nos envie fotos e dados!
http://bit.ly/FalecomPORTALMISTUREBAS

Siga nosso instagram
✅ Instagram: instagram.com/portalmisturebas

Participe do nosso grupo no WhatsApp
✅ WhatsApp: http://abre.ai/grupomisturebas
Portal Misturebas – A informação ao seu alcance | 12 anos®


Sugestão de pauta

Deixe um comentário.


Receba as novidades no seu email


Mais notícias
Atendimento