Mulher acusada de matar a filha de 13 anos em BC tentou se esconder em Jaraguá do Sul

Mulher acusada de matar a filha de 13 anos em BC tentou se esconder em Jaraguá do Sul

Mulher foi presa após denúncia anônima e na chegada da Polícia foi feito reconhecimento através de imagem fotográfica.

A mulher acusada de matar a filha de 13 anos em Balneário Camboriú foi presa ao tentar se esconder em Jaraguá do Sul. O mandado de prisão preventiva contra Adriana de Oliveira, de 31 anos, foi cumprido no fim da manhã desta quinta-feira, 03 de outubro, na Casa de Passagem, no bairro Jaraguá Esquerdo.

De acordo com o delegado Leandro Mioto, que responde interinamente pela Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI) de Jaraguá do Sul, o paradeiro da foragida da Justiça foi descoberto após uma denúncia anônima.

Continua depois da publicidade

Misturebas - A informação ao seu alcance!

“A equipe de investigação da DPCAMI diligenciou até o local e foi constatado através de uma confrontação fotográfica que era ela. Num primeiro momento, ela se mostrou disposta a ir para a delegacia, mas ela tentou fugir e os policiais conseguiram detê-la”, comenta Mioto.

Adriana passou por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal e vai ficar presa na Delegacia da Comarca de Jaraguá do Sul até esta sexta-feira, 04 de outubro. Depois, ela será levada pelo Departamento de Administração Prisional (Deap) para uma das unidades prisionais do Estado.

Continua depois da publicidade

Misturebas - Anúncio

Assassinato na rua

Jheimili Yara da Silva e Adriana são de Foz do Iguaçu, no Paraná, e estavam morando em Balneário Camboriú há cerca de dois meses. Elas conheceram um vendedor ambulante e chegaram a morar por uns dias na casa dele.

Adriana foi morar em Bombinhas e descobriu que a filha estava tento um relacionamento com o homem de 32 anos. No dia 5 de setembro, ela foi ao encontro de Jheimili e, durante uma discussão, ela esfaqueou a filha na avenida Atlântica.

Um vídeo mostra o momento em que a acusada pega uma faca e acerta o coração da filha. A adolescente chegou a ficar internada por sete dias na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Hospital Ruth Cardoso, mas não resistiu ao ferimento e morreu.

Adriana chegou a ser presa pela Guarda Municipal e foi levada para a Delegacia de Polícia Civil, mas foi solta durante a audiência de custódia. Aos policiais civis, ela disse que a morte da filha foi um acidente.

 

Fonte | Foto: OCP News/Cláudio Costa
Compartilhe nas suas redes sociais


Sugestão de pauta

Deixe um comentário.


Receba as novidades no seu email


Mais notícias
Atendimento